A Imagem Radiológica

A Imagem Radiológica

Autora: Tânia Aparecida Correia Furquim.

Para visualizar e baixar a apostila completa acesse:

FURQUIM, Tânia Aparecida Correia. A Imagem Radiológica. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

 

Licença Creative Commons - by
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

Estimativa de Dose Absorvida pelo Paciente Relacionada à Anatomia Irradiada

Estimativa de Dose Absorvida pelo Paciente Relacionada à Anatomia IrradiadaAutores: Amanda Anastacio Soares; Flávio Augusto Penna Soares; Gabrielly Gomes Kahl.

Desenvolveu-se uma equação direta para estimar a dose absorvida pelo paciente em exames radiográficos, utilizando parâmetros elétricos, geométricos e de filtragem combinados com dados da anatomia irradiada. Para determinar a dose absorvida em cada exame, a Dose de Entrada na Pele (DEP) é ajustada à espessura da anatomia específica do paciente. A DEP é calculada a partir da estimativa da grandeza KERMA no ar. Equações de Lambert-Beer derivadas de dados de coeficientes de absorção de energia em massa obtidos do NIST/EUA, foram desenvolvidas para cada tecido: osso, músculo, gordura e pele. A espessura da pele foi fixada em 2 mm e a dos ossos foi estimada no local do raio central, na incidência ântero-posterior. Por serem similares em densidade e coeficientes de atenuação, músculo e gordura são tratados como um tecido único. Para avaliação das equações completas, escolheu-se 3 anatomias distintas: tórax, mão e coxa. Embora complexas em seu formato, as equações simplificam a determinação direta de dose absorvida a partir das características do equipamento e paciente. Os dados de entrada são inseridos em um único momento e a dose absorvida total (mGy) é calculada instantaneamente. O erro médio, ao comparar-se com dados disponíveis, é menor do que 5% em qualquer combinação de dados de aparelho e exames. Além do cálculo da dose para determinado exame e paciente, o operador pode escolher as variáveis que irão depositar menos radiação no paciente por meio da análise prévia de cada combinação de variáveis, empregando o principio ALARA na rotina do setor de radiodiagnóstico.

Para visualizar e baixar o trabalho completo acesse:

SOARES, Amanda Anastacio; SOARES, Flávio Augusto Penna; KAHL, Gabrielly Gomes. Estimativa de Dose Absorvida pelo Paciente Relacionada à Anatomia Irradiada. In: INTERNATIONAL JOINT CONFERENCE RADIO. 2014., Gramado: Sociedade Brasileira de Proteção Radiológica. Brazilian Journal of Radiation Sciences, Recife, v. 4, n. 1-A, 2016.

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

 

Licença Creative Commons - by
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

Avaliação dos Níveis de Pressão Sonora Emitidos pelo Aparelho de Ressonância Magnética

Avaliação dos Níveis de Pressão Sonora Emitidos pelo Aparelho de Ressonância Magnética

Autores: Eduardo Murad Villoria; Luciano Andrei FrancioLiliane Ribeiro Rocha; Dâmares Costa; Laíze Rosa Pires; Paulo Isaias Seraidarian; Flávio Ricardo Manzi.

Objetivo: mensurar o nível de pressão sonora emitido pelo aparelho de ressonância magnética em funcionamento e verificar as sensações auditivas descritas pelos indivíduos submetidos a este exame após a realização do mesmo.

Métodos: foi realizada a mensuração do ruído produzido, durante a aquisição das imagens, por meio de um medidor de nível de pressão sonora (decibelímetro) e a aplicação de um questionário com a finalidade de verificar as sensações auditivas apresentadas por estes indivíduos após a realização do exame. Tal procedimento foi aplicado a 60 indivíduos submetidos ao exame de ressonância magnética do crânio.

Resultados: o nível de pressão sonora média apresentada durante a realização do exame foi inferior ao nível de intensidade considerado como risco para lesões auditivas. No entanto, sensações como zumbido, ansiedade, plenitude auricular e alívio após o término do exame foram citados pelos indivíduos após a execução do mesmo.

Conclusão: é pertinente o uso de protetores auriculares como medida preventiva para o controle do nível de ruído que atinge a cóclea do indivíduo, minimizando desta forma os efeitos físicos e psicossociais decorrentes da exposição ao ruído.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

VILLORIA, Eduardo Murad. et. al. Avaliação dos Níveis de Pressão Sonora Emitidos pelo Aparelho de Ressonância Magnética. Revista CEFAC, São Paulo, v. 18, n. 1, p. 27-32, jan./ fev. 2016.

In English: Study About the Consequences of Different Sound Pressure Levels Emitted by Magnetic Resonance Imaging Equipment.

Artigos relacionados:

 

Licença Creative Commons - by
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

Apostila Educativa CNEN: Radiações Ionizantes e a Vida

Apostila Educativa CNEN - Radiações Ionizantes e a VidaAutor: Yannick Nouailhetas.

As radiações ionizantes existem no Planeta Terra desde a sua origem, sendo portanto um fenômeno natural. No início, as taxas de exposição a estas radiações eram certamente incompatíveis com a vida. Com o passar do tempo, os átomos radioativos, instáveis, foram evoluindo para configurações cada vez mais estáveis, através da liberação do excesso de energia armazenada nos seus núcleos. Pelas suas propriedades esta energia é capaz de interagir com a matéria, arrancando elétrons de seus átomos (ionização) e modificando as moléculas. Considerando a evolução dos seres vivos, a modificação de moléculas levou a um aumento de sua diversidade, e provavelmente ao surgimento de novas estruturas que, devidamente associadas, ganharam características de ser vivo. As radiações ionizantes continuaram a trabalhar este material ao longo das eras, produzindo modificações que contribuíram para o surgimento da diversidade de seres vivos que povoaram e povoam a Terra. No final do século XIX, com a utilização das radiações ionizantes em benefício do homem, logo seus efeitos na saúde humana tornaram-se evidentes. Ao longo da história, estes efeitos foram identificados e descritos, principalmente, a partir de situações nas quais o homem encontrava-se exposto de forma aguda (acidentes e uso médico). Efeitos que porventura pudessem decorrer de exposições às radiações em condições naturais foram pouco estudados e pouco entendidos. Recentemente um esforço no sentido de melhor se entender o papel destas radiações junto à vida tem sido desenvolvido e a expectativa é que possam ser emitidos novos conceitos a respeito dos efeitos biológicos das radiações ionizantes.

Para visualizar e baixar a apostila completa acesse:

NOUAILHETAS, Yannick. Apostila Educativa CNEN: Radiações Ionizantes e a Vida. Rio de Janeiro: Comissão Nacional de Energia Nuclear, 2011. 42 p.

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

 

Licença Creative Commons - by
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

Análise Comparativa dos Fatores de Exposição em Exames Radiográficos de Rotina

Análise Comparativa dos Fatores de Exposição em Exames Radiográficos de RotinaAutor: André Luiz Silva de Jesus.

Esta pesquisa tem o objetivo de comparar os valores de exposição radiográficos de quilovoltagem e miliamperagem por segundo aplicados com os encontrados na literatura e através disso determinar quais variáveis influenciam direta e indiretamente nos resultados obtidos. A metodologia consistiu no preenchimento de um questionário primário com 66 exames distintos de 33 regiões anatômicas por 13 técnicos em radiologia em 3 Centros de Diagnóstico por Imagem da Baixada Santista, estado de São Paulo. Também foram preenchidos 3 questionários complementares baseados na legislação em vigor afim de constatar sua aplicação e as condições técnicas dos locais pesquisados. Os resultados demonstram uma incoerência na aplicação dos fatores de exposição, representado por um alto índice de exames em que os fatores de exposição encontram-se abaixo ou acima do que é recomendado pela literatura. É possível concluir que diversos problemas influenciam a má aplicação dos fatores de exposição, entre eles falhas no sistema ensino-aprendizagem sobre Física Radiológica, o descumprimento da legislação em vigor e desrespeito aos princípios de Radioproteção, resultando na anulação do benefício que a radiação ionizante poderia trazer aos pacientes através do diagnóstico por imagem.

Para visualizar e baixar a monografia completa acesse:

JESUS, André Luiz Silva de. Análise Comparativa dos Fatores de Exposição em Exames Radiográficos de Rotina. 2014. 100 f. Monografia (Graduação de Tecnologia em Radiologia) – Centro Universitário Lusíada,  Santos, 2014.

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

 

Licença Creative Commons - by
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

Individualização das Técnicas Radiográficas em Radiologia Computadorizada

Individualização das Técnicas Radiográficas em Radiologia Computadorizada

Autores: Marcos Eugênio Silva Abrantes; Warley Ferreira Felix; Giovanni Antônio Paiva de Oliveira; Arno Heeren de Oliveira; Leonardo Galeazzi Stoppa; Omir Antunes Paiva.

Este trabalho tem finalidade de produzir informações para implantação da qualidade de imagens em um setor de radiologia baseado em avaliações prévias das imagens por questionários, de aceitação e qualidade, como etapa de reconhecimento dos parâmetros empregados nas técnicas radiográficas. Após esta investigação os dados levantados foram divididos por grupo masculino, feminino, espessura PA e PF, índice de massa corporal, tipos de biótipos, parâmetros antropofórmicos, avaliação corporal associados às constantes na tensão e filtração adicional. Os resultados apresentam a predominância da constante 35 e 40 com filtração adicional de 0,5 a 1,5 mmAl, tensão para o gênero masculino (PA e PF) de 86 a 92 kV e 96 a 112 kV, tensão para o gênero feminino de 85 a 98 kV e 96 a 112 kV, respectivamente. A carga aplicada ao tubo para o gênero masculino (PA e PF) está entre 5 a 10 mAs e 5 a 16 mAs e para o gênero feminino (PA e PF) está entre 6,3 a 8 mAs e 9 a 14 mAs.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

ABRANTES Marcos Eugênio Silva Abrantes. et. al. Individualização das Técnicas Radiográficas em Radiologia Computadorizada. Brazilian Journal of Radiation Sciences, Recife, v. 3, n. 2, p. 1-12, 2015.

Artigos relacionados:

 

Licença Creative Commons - by
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

Dosimetria e Análise de Incertezas em Braquiterapia Ginecológica

Dosimetria e Análise de Incertezas em Braquiterapia Ginecológica

Autora: Márcia Sofia Alves Coelho.

A braquiterapia intracavitária permite administrar uma dose elevada no volume tumoral e minimizar a dose nos órgãos e tecidos circundantes. Contudo, as incertezas no posicionamento da fonte assim como a descrição simplificada das estruturas anatómicas e do aplicador conduzem a incertezas no cálculo de dose recebida pelo tumor e órgãos e tecidos circundantes. Este estudo envolvendo simulações por métodos Monte Carlo com a utilização de fantomas de voxel, e medições efectuadas utilizando câmaras de ionização e fantomas padrão utilizados em braquiterapia, tem como objectivo i) avaliar a exactidão do cálculo de dose obtido pelo sistema de planeamento (“Treatment Planning System, TPS”), ii) identificar as principais fontes e factores de incerteza no cálculo dosimétrico efectuado e iii) efectuar uma análise da correspondente contribuição para a incerteza total no cálculo de dose. Para tal, comparou-se o cálculo de dose obtido pelo TPS para 5 pontos situados a 2 cm para lá do centro da fonte com os correspondentes resultados obtidos utilizando o programa de simulação por métodos de Monte Carlo PENELOPE, representativo do estado da arte computacional em simulações utilizando métodos de Monte Carlo, sem e com aplicador vaginal. Averiguou-se também a influência da variação da posição da fonte de 1 mm nas direcções anterior-posterior, direita-esquerda e crânio-caudal na dose média recebida pelo recto e bexiga através de um fantoma de voxel pélvico. Para os pontos localizados a 2 cm para lá do centro da fonte, o desvio relativo entre a dose calculada pelo PENELOPE para a geometria sem aplicador e o TPS foi inferior a 3%. Para a geometria com aplicador o desvio relativo foi inferior a 11%. Neste estudo a variação da posição da fonte no sentido anterior-posterior contribuiu para um desvio relativo de +6.6% na dose média recebida pela bexiga, enquanto que para o recto a maior diferença encontrada foi no sentido crânio-caudal com um desvio relativo de +6.6%. Quando o aplicador é implementado no programa PENELOPE, observa-se uma redução da dose em média de 9.4% a nível dos pontos de relevância clinica em relação ao TPS. O fantoma de voxel pélvico utilizado permitiu estudar variações na posição da fonte e a sua influência na dose recebida pelos órgãos de risco. Neste trabalho, variações na posição da fonte de 1 mm contribuíram para um aumento de 6.6% na dose recebida pela bexiga e pelo recto. Assim, incertezas no cálculo de dose e na administração do tratamento podem comprometer o sucesso da terapêutica.

Para visualizar e baixar a dissertação completa acesse:

COELHO, Márcia Sofia Alves. Dosimetria e Análise de Incertezas em Braquiterapia Ginecológica. 2013. 113 f. Dissertação (Mestrado em Radiações Aplicadas às Tecnologias da Saúde) – Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, Instituto Politécnico de Lisboa, Lisboa, 2013.

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Avaliação do Potencial de Otimização de Protocolos em Tomografia Computadorizada

Avaliação do Potencial de Otimização de Protocolos em Tomografia Computadorizada

Autores: Mecca F. A.; Dias S. A.; Pinto, V. N. C.

Para visualizar a apresentação completa acesse:

MECCA F. A.; DIAS S. A.; PINTO, V. N. C.. Avaliação do Potencial de Otimização de Protocolos em Tomografia Computadorizada. In: JORNADA PAULISTA DE RADIOLOGIA. 38. 2008., São Paulo: Sociedade Paulista de Radiologia. 11 slides: color.

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

 

by-nc
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Avaliação do Desempenho dos Equipamentos de Raios X Convencional da Cidade de Santa Maria

Avaliação do Desempenho dos Equipamentos de Raios X Convencional da Cidade de Santa Maria

Autores: Marchionatti, W.; Fischer, M.; Vendrúsculo B.; Bevilacqua, L. Botelho, M. Z.

Para visualizar a apresentação completa acesse:

MARCHIONATTI, W. et. al. Avaliação do Desempenho dos Equipamentos de Raios X Convencional da Cidade de Santa Maria. In: JORNADA PAULISTA DE RADIOLOGIA. 38. 2008., São Paulo: Sociedade Paulista de Radiologia. 16 slides: color.

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

 

by-nc
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Desenvolvimento e Construção de um Fantoma Homogêneo de Mão para Otimização de Imagens Radiográficas

Desenvolvimento e Construção de um Fantoma Homogêneo de Mão para Otimização de Imagens Radiográficas

Autora: Ana Luiza Menegatti Pavan.

A Radiologia Computadorizada (CR – do inglês Computed Radiology) tem sido amplamente utilizada para auxiliar o diagnóstico médico em hospitais e clínicas em todo o mundo. Entretanto a rotina clínica comumente utiliza cartas de técnicas empregadas em sistemas tela-filme na aquisição de imagens em sistemas de detecção CR. As normativas internacionais já estabeleceram parâmetros de testes de controle de qualidade em CR. Entretanto as normativas nacionais trabalham para essa construção. Estudos recentes apontam métodos de otimização de imagens em sistema de detecção CR para exames de crânio, pelve e tórax para pacientes adulto e padrão sem se reportarem a exames de mão. Muitas doenças que acometem as mãos hoje em dia utilizam o exame de raios X como exame auxiliar para diagnóstico. Vale salientar que a técnica utilizada deve fornecer imagens com o máximo de informações possíveis para um diagnóstico seguro, com a menor dose ao paciente, e com redução de custos para a instituição onde os exames são realizados. Neste estudo um fantoma homogêneo de mão foi desenvolvido para ser utilizado no processo de otimização de imagens de mão utilizando sistema CR. Nesse procedimento foram quantificadas as espessuras de distintos tecidos que constituem um fantoma antropomórfico de mão a partir de exames de tomografia computadorizada. O mesmo procedimento foi adotado para 30 exames retrospectivos de pacientes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu – UNESP (HCFMB-UNESP). Os resultados obtidos apresentaram concordância entre as espessuras de tecidos que constituem o fantoma antropomórfico e a amostragem de pacientes avaliados, apresentando variações entre 12,63% e 6,48% para tecidos moles e ósseos, respectivamente. O fantoma homogêneo foi utilizado no processo de calibração do feixe de raios X, produzindo técnicas testes. Essas técnicas foram aplicadas em um fantoma antropomórfico de mão. As imagens obtidas foram avaliadas pelo método de Avaliação Gradativa Visual (AGV) por especialistas da área de radiologia, resultando em imagens ótimas. Dentre as imagens ótimas foi determinada a imagem Gold Standard, baseando-se no princípio ALARA (do inglês As Low As Reasonably Achievable) e 3D (do inglês Diagnostic, Dose and Dollar). A imagem Gold Standard apresenta redução de dose e carga de tubo em torno de 41,28% e 33,18% respectivamente, quando comparada com a técnica comumente empregada na rotina clínica do setor de Diagnóstico por Imagem do HCFMB-UNESP.

Para visualizar e baixar a dissertação completa acesse:

PAVAN, Ana Luiza Menegatti. Desenvolvimento e Construção de um Fantoma Homogêneo de Mão para Otimização de Imagens Radiográficas. 2014. 74 p. Dissertação (Mestrado em Biologia Geral e Aplicada – Biologia Celular Estrutural e Funcional) – Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Botucatu, 2014.
(Tamanho: 1,50 MB)

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

Sensitômetro de Raios X para Avaliação de Combinações Tela-Filme Utilizadas em Radiologia Médica

Sensitômetro de Raios X para Avaliação de Combinações Tela-Filme Utilizadas em Radiologia Médica

Autores: O.M.B.D. Porta; T. Krauspenhar.

A série de exposições relativas necessárias para produzir um intervalo útil de densidades ópticas no filme pode ser obtida pelos métodos sensitométricos de tempo escalonado ou intensidade escalonada. Um sensitômetro de raios X é utilizado para gerar a curva característica de filmes radiográficos em combinação com a tela intensificadora fluorescente. Neste trabalho, desenvolveu-se um método conveniente para a exposição de sistemas tela-filme utilizando-se a sensitometria de intensidade escalonada. Neste método, durante a exposição o tempo, a tensão de pico (kVp) e a corrente no tubo de raios X permanecem constante e a intensidade do feixe de raios X é modulada através da variação da distância entre o filme e a fonte de raios X. Um banco óptico foi construído para permitir a exposição do sistema tela-filme em várias distâncias da fonte. Um sistema de blindagem foi construído para permitir que uma única região do filme fosse exposta a cada variação da distância fonte-filme. A condição de exposição normalmente utilizada são 70kVp e 2,5mm de filtro de alumínio. A latitude de exposição fornece uma curva característica completa dos sistemas tela-filme.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

PORTA, O. M. B. D.; KRAUSPENHAR, T. Sensitômetro de Raios X para Avaliação de Combinações Tela-Filme Utilizadas em Radiologia Médica. Revista Brasileira de Física Médica, Florianópolis, v. 2, n. 1, p. 20-23, mar. 2009.
(Tamanho: 93 KB)

Artigos relacionados:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Evaluation of Patients’ Skin Dose Undergoing Interventional Cardiology Procedure Using Radiochromic Films

Evaluation of Patients’ Skin Dose Undergoing Interventional Cardiology Procedure Using Radiochromic Films

Autores: Mauro W. Oliveira da Silva; Bárbara B. Dias Rodrigues; Lucía V. Canevaro.

In interventional cardiology (IC), coronary angiography (CA) and percutaneous transluminal coronary angioplasty (PTCA) procedures are the most frequent ones. Since the 1990s, the number of IC procedures has increased rapidly. It is also known that these procedures are associated with high radiation doses due to long fluoroscopy time (FT) and large number of cine-frames (CF) acquired to document the procedure. Mapping skin doses in IC is useful to find the probability of skin injuries, to detect areas of overlapping field, and to get a permanent record of the most exposed areas of skin. The purpose of this study was to estimate the maximum skin dose (MSD) in patients undergoing CA and PTCA, and to compare these values with the reference levels proposed in the literature. Patients’ dose measurements were carried out on a sample of 38 patients at the hemodynamic department, in four local hospitals in Rio de Janeiro, Brazil, using Gafchromic© XR-RV2 films. In PTCA procedures, the median and third quartile values of MSD were estimated at 2.5 and 5.3 Gy, respectively. For the CA procedures, the median and third quartile values of MSD were estimated at 0.5 and 0.7 Gy, respectively. In this paper, we used the Pearson’s correlation coefficient (r), and we found a fairly strong correlation between FT and MSD (r=0.8334, p<0.0001), for CA procedures. The 1 Gy threshold for deterministic effects was exceeded in nine patients. The use of Gafchromic© XR-RV2 films was shown to be an effective method to measure MSD and the dose distribution map. The method is effective to identify the distribution of radiation fields, thus allowing the follow-up of the patient to investigate the appearance of skin injuries.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

SILVA, Mauro W. da; RODRIGUES, Bárbara B. Dias; CANEVARO, Lucía V. Evaluation of Patients’ Skin Dose Undergoing Interventional Cardiology Procedure Using Radiochromic Films. Revista Brasileira de Física Médica, Florianópolis, v. 5 , n. 1. p. 79-84, abr. 2011.
(Tamanho: 404 KB)

Artigos relacionados:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Estimation of Patient Dose in Computed Tomography: An Extension of IAEA Project in Brazil

Estimation of Patient Dose in Computed Tomography - An Extension of IAEA Project in Brazil

Autores: Romulo S. Delduck; Simone Kodlulovich; Larissa C. Oliveira; Vinicius C. Silveira; Humberto O. Silva; Helen Khoury; Alejandro Nader.

The aim of this paper was to estimate the patient’s dose in routine procedures in Brazil and to identify the potential of optimization in adults and pediatric procedures. The sample included ten hospitals distributed in different states of the country. In each hospital, the routine protocols of head, chest, high resolution chest, abdomen, and pelvis were recorded. The values of Cw , Cvol and Pkl were estimated based on the nCw values provided by IMPACT. For the same procedure, significant differences in patient’s doses were verified between the hospitals and also in the same department. In some cases, the technical factors are so low that suggest a rigorous evaluation of the image quality. Problems were also observed regarding procedures records, and the information about the procedure is insufficient. This study indicated the necessity of an implementation of an action plan that includes training program to operate the scanner in an optimized mode, to carry out the dosimetry, and to evaluate the image quality. The large range of patient’s doses indicated that there is an expressive potential of patient’s dose reduction and optimization maintaining the diagnostic information.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

DELDUCK, Romulo S. et. al. Estimation of Patient Dose in Computed Tomography: An Extension of IAEA Project in Brazil. Revista Brasileira de Física Médica, Florianópolis, v. 5, n. 1, p. 73-78, abr. 2011.
(Tamanho: 237 KB)

Artigos relacionados:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Evaluation of the Image Quality in Computed Tomography: Different Phantoms

Evaluation of the Image Quality in Computed Tomography - Different Phantoms

Autores: Vinicius C. Silveira; Larissa C. Oliveira; Rômulo S. Delduck; Simone KodlulovichFernando A. Mecca; Humberto O. Silva.

The aim of this paper was to compare the simulators provided by the CT manufactures and Catphan’s Phantom with the American College of Radiology (ACR) computed tomography phantom. The image evaluation followed the protocols established by the manufactures of the phantoms. For slice thickness evaluation, the maximum percentage difference was 9% between the phantoms ACR and Siemens. In CT number accuracy test, the measurements of CT number of water showed a difference of 10 HU between the CT simulators. Comparing the uniformity results, the discrepancy was 11% and 55% for Siemens and Philips respectively in relation to the result obtained with the ACR phantom. The result of low contrast was the same for all phantoms. The MTF50 and MTF10 obtained with Siemens phantom was 4 and 8 pl/mm. For Catphan, 6 and 7 pl/mm. Results demonstrate that the ACR simulator was the most comprehensive and flexible to be used in several scanner models. Some simulators did not present all image quality indicators to perform a complete test.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

SILVEIRA, Vinicius C. et. al. Evaluation of the Image Quality in Computed Tomography: Different Phantoms. Revista Brasileira de Física Médica, Florianópolis, v. 5, n. 1, p. 67-72, abr. 2011.
(Tamanho: 354 KB)

Artigos relacionados:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Optimization of the Scan Protocol in the Measurements of Coronary Artery Calcium

Optimization of the Scan Protocol in the Measurements of Coronary Artery Calcium

Autores: Larissa C. G. Oliveira; Ilan Gottlieb; Fabrício M. de Carvalho; Larissa C. Pinheiro; Simone Kodlulovich; Fernando A. Mecca; Ricardo T. Lopes.

The aim of this study was to evaluate the influence of the tube current applied for studies of calcium score. The research was carried out in a private clinic of Rio de Janeiro, using a 64-slice MDCT scanner and an anthropomorphic cardiac computed tomography phantom. In all images, the Agatston score, the volume and mass of the calcifications, and the noise for each current tube were determined. The average computed tomography attenuation number obtained for all tube currents was 261.6±3.2 HU for the CaHA density insert and -0.2 HU±2.0 for the water insert. The images obtained at lower tube currents were noisier and grainier than those obtained at higher tube currents. However, no significant differences were found in the calcium measurements, which suggest a high potential of patient dose reduction, around 50%, without compromising diagnostic information.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

OLIVEIRA, Larissa C. G. et. al. Optimization of the Scan Protocol in the Measurements of Coronary Artery Calcium. Revista Brasileira de Física Médica, Florianópolis, v. 5, n. 1, p. 63-66, abr. 2011.
(Tamanho: 1,22 MB)

Artigos relacionados:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Apostila Educativa CNEN: A História da Energia Nuclear

Apostila Educativa CNEN - A História da Energia NuclearAutora: Claudia Souza.

Para visualizar e baixar a apostila completa acesse:

SOUZA, Claudia (Coord.). Apostila Educativa CNEN: A História da Energia Nuclear. Rio de Janeiro: CNEN, 2015. 28 p.
(Tamanho: 586 KB)

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

 

Licença Creative Commons - by
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

Proteção Radiológica: Fundamentos de Física das Radiações

Proteção Radiológica - Fundamentos de Física das Radiações

Autor: Aguinaldo Moreira da Silva.

Para visualizar e baixar a apresentação completa acesse:

SILVA, Aguinaldo Moreira da. Proteção Radiológica: Fundamentos de Física das Radiações. 2013. 58 slides: color.
(Tamanho: 3,84 MB)

Artigos relacionados:

Artigos do mesmo autor:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Grandezas e Unidades para Radiação Ionizante

Grandezas e Unidades para Radiação Ionizante

Autores: Manoel Mattos Oliveira Ramos; Luiz Tauhata.

O Laboratório Nacional de Metrologia das Radiações Ionizantes (LNMRI) é responsável, por designação do INMETRO, desde 1989, pela guarda e disseminação dos padrões nacionais das unidades SI das grandezas físicas kerma, fluência, equivalente de dose, dose absorvida e atividade para as várias aplicações das radiações ionizantes na indústria, na medicina e outros campos.
A estrutura do LNMRI consiste em dois Serviços: Metrologia de Radionuclídeos (SEMRA) e Dosimetria das Radiações (SEMRI) os quais são subdivididos em grupos técnicos. O SEMRA cuida das grandezas associadas à radioatividade e dos coeficientes de interação e o SEMRI trata de grandezas associadas à radioterapia, radiodiagnóstico e radioproteção.
No presente documento o LNMRI referenda documentos internacionais e recomenda as grandezas para medição de radiações ionizantes para as diversas áreas. Tabelas com definições, símbolos e fórmulas foram acrescentadas de modo a concatenar informações pertinentes e servir como um glossário.
Nas tabelas, foram indicadas as publicações e edições das Normas da CNEN para fins de compreensão e esclarecimento das eventuais mudanças de valores. Adicionalmente são apresentados importantes fatores de conversão, limites, níveis e constantes físicas frequentemente usados nas práticas com radiações ionizantes.

Para baixar a apostila completa acesse:

RAMOS, Manoel Mattos Ramos; TAUHATA, Luiz (Coord.). Grandezas e Unidades para Radiação Ionizante. ed. rev. Rio de Janeiro: INMETRO/ IRD/ CNEN/ MCT, 2011.
(Tamanho: 575 KB)

Artigos relacionados:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Apostila Educativa CNEN: Radioatividade

Autores: Eliezer de Moura Cardoso; Ismar Pinto Alves; José Mendonça de Lima; Luiz Tahuata; Paulo Fernando Lavalle Heilbron Filho; Claudio Braz; Sonia Pestana.

Apostila Educativa CNEN - Radioatividade

Para visualizar e baixar a apostila completa acesse:

CARDOSO, Eliezer de Moura; et. al. Apostila Educativa CNEN: Radioatividade. Rio de Janeiro: Comissão Nacional de Energia Nuclear.
(Tamanho: 198 KB)

Artigos relacionados:

Artigo da mesma fonte:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

Padronização das Técnicas Radiológicas Empregadas nos Exames de Tórax como Proposta para Rede Hospitalar do Distrito Federal

Padronização das Técnicas Radiológicas Empregadas nos Exames de Tórax como Proposta para Rede Hospitalar do Distrito Federal

Autora: Rosângela Thomé da Silva.

O uso de equipamentos em radiodiagnóstico em hospitais é uma prática muito comum para realizar diferentes tipos de exames, sendo a radiografia de tórax um dos mais solicitados. Nos centros de diagnóstico por imagem, encontra-se uma equipe multiprofissional que estão sujeitos à exposição da radiação, além dos pacientes e do público em geral. O objetivo deste estudo foi analisar o número de repetições e rejeitos nas radiografias torácicas, além de avaliar as condutas e a qualificação profissional dos técnicos em radiologia nos Hospitais Públicos do Distrito Federal. Foram acompanhados 150 pacientes em três centros de diagnóstico por imagem. Em cada unidade foram acompanhados 25 exames do tórax em apenas observação e 25 exames sugerindo o uso do espessômentro para a obtenção da quilovoltagem ideal para cada paciente. Também foi aplicado um questionário para os 34 técnicos que concordaram em participar da pesquisa. Outros itens também foram abordados e anotados como: o uso do jaleco, uso do crachá profissional de identificação e do dosímetro. A partir dos dados coletados, durante a pesquisa, foram aplicados os tratamentos estatísticos e com os resultados foi possível traçar uma proposta para padronização das técnicas radiológicas. Em relação ao número de repetições dos exames radiológicos foram observados que sem o uso do espessômetro foram repetidos 38,6% das radiografias de tórax e, com o uso do espessômetro e da fórmula para calcular a quilovoltagem, foram repetidos 14,6% dos exames. A média do tempo de execução dos exames com o uso do espessômetro foi de 239,44 segundos e, quando não se utilizou o espessômetro a média de tempo foi de 398,65 segundos, levando em consideração o tempo de espera para a realização dos procedimentos. A cerca dos indivíduos ocupacionalmente expostos, o estudo revelou que 64,7% são do sexo masculino e que a média de idade é de 38,7 anos, a média do tempo de formação é de 12,4 anos. Observou-se, ainda, que todos os técnicos em radiologia usavam o crachá funcional e que 53% usavam jaleco e 47% portavam dosímetro durante a realização dos exames. O presente estudo propõe a criação de uma Central Única de Laudos, assim como um Programa de Educação Permanente no sentido de elevar a qualidade dos processos, produtos e serviços. Propõe também uma reflexão sobre os diferentes fatores envolvidos no processo e vem contribuir para promover uma maior conscientização da organização e do profissional.

Para visualizar e baixar a dissertação completa acesse:

SILVA, Rosângela Thomé da. Padronização das Técnicas Radiológicas Empregadas nos Exames de Tórax como Proposta para Rede Hospitalar do Distrito Federal. Brasília, 2013. Dissertação (Mestrado em Engenharia Biomédica) – Faculdade UNB Gama, Universidade de Brasília, Brasília, 2013.
(Tamanho: 3,73 MB)

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

 

Copyrigth
Copyright – Todos os direitos reservados ao autor.